Técnicas de recuperação muscular pós prova

Post Original em Camelbak Training Club

Para participar de provas, seja qual for o seu objetivo, é preciso muita preparação e foco. Porém, está enganado quem pensa que o trabalho terminou ao cruzar a linha de chegada.

Concluir uma prova gera um desgaste físico e psicológico para o atleta, que precisará se recuperar para voltar aos treinamentos e alcançar novas metas posteriormente.

Neste processo, a alimentação, o descanso e a regeneração muscular são fundamentais para a recuperação. Neste artigo vamos aprofundar em dois procedimentos voltados para recuperação pós prova ou treino: liberação miofascial e a crioterapia.

Liberação Miofascial

É um procedimento que atua diretamente com as fáscias, ainda que de forma indireta afete outras estruturas do aparelho motor. Mas o que são as fáscias? São membranas fibrosas e resistentes que servem como uma camada em volta dos músculos e órgãos internos. As fáscias envolvem os ossos, músculos, articulações, vísceras e estruturas vasculares e nervosas. Além disso tem outras funções: organizar e separar os compartimentos do corpo, dar proteção e estrutura corporal para auxiliar em processos de regulação térmica e na cura de feridas.

Essa parte do corpo tem uma grande quantidade de colágeno, que pode acabar sofrendo endurecimento e encurtamento quando algumas forças atuam sobre ele. O mais importante de se saber é que quando lesionamos alguma parte das fáscias podemos causar também alterações em outras parte distintas do corpo, graças as compensações que o organismo realiza para recuperar o equilíbrio e se manter sem dores.

Como funciona

É uma estimulação mecânica dos tecidos conectivos. O objetivo é alcançar uma circulação eficiente, aumentando os subsídios sanguíneos. Esse processo fornece um incremento do fluxo de metabólico no tecido, acelerando a recuperação de lesões .

A liberação miofascial é aplicada com um rolo de espuma e tem resultados graças ao processo conhecido como “inibição autogênica,” que acontece quando a tensão no músculo aumenta até um ponto de risco, porém, é justamente nesse momento que o órgão de Golgi estimula o músculo para que ele fique relaxado.

A principal função desse procedimento é reduzir o tônus muscular e evitar os problemas que podem aparecer quando estamos com ele elevado.

Essa técnica cada vez mais tem sido utilizada pelos esportistas para melhorar a recuperação pós prova e aumentar os rendimentos durante os treinos. Já é comprovado que o procedimento diminui a fadiga que alguns atletas apresentam.

Crioterapia

Essa terapia funciona de forma muito simples: consiste na aplicação de temperaturas frias sobre alguma parte do corpo para alcançar fins terapêuticos. Sem sombra de dúvidas a crioterapia é uma das técnicas de recuperação mais antigas que conhecemos, porém, mesmo nos dias de hoje continua sendo amplamente utilizada por diversos atletas (de diferentes níveis).

Seja na tradicional aplicação de bolsas de gelo, até as aplicações em gel, a crioterapia é uma técnica que controla de forma eficiente a pressão e a temperatura do músculo, otimizando o processo de recuperação muscular.

Crioterapia realmente funciona?

Sim. Os efeitos dessa técnica já foram amplamente testados e provados, já que a temperatura baixa afeta o metabolismo do tecido lesionado e ao baixar sua temperatura altera o metabolismo do tecido. Essa diminuição de metabolismo ajuda na redução do danos, já que a histamina e a colagenose (que atuam no processo de inflamação) diminuem sua potência durante um tratamento com crioterapia.

Escolhendo a melhor opção de recuperação pós-prova

A escolha da técnica de recuperação deve levar em conta diversos fatores que incluem: o tempo da prova realizada e a intensidade aplicada, o nível do atleta e o tempo restante até a próxima competição. Além da alimentação e da hidratação os treinos complementares são importantes. É importante observar a escolha dos treinos após a recuperação, que não devem ser tão intensos. Fisioterapia, repouso total, suplementação também podem ser saídas. Mas sem sombra de dúvidas essas duas técnicas podem ser muito eficientes!